quarta-feira, 12 de junho de 2024

Câmara: Um Caso de Polícia III.

 SE os dois assuntos já denunciados são graves, chamo a atenção para o seguinte fato.

Primeiro: O Vereador e Presidente da Câmara(no papel) Carlos Roberto Lucindo, também conhecido como Roxinho, é "Persona Non Grata" pela atual Gestão, pois, revelou um Judas, um traidor., pois, viveu ATÉ ONTEM, alimentado pelas mão do Miliossi, e agora, o trai. E não se trata de votar contra ou a favor, mas, de recusar a cumprir seu DEVER Constitucional de colocar para apreciação os Projetos do Executivo.

Mas, ai que está a QUESTÃO policial. O Presidente (no papel) não coloca os Projetos para votação porque o Presidente de fato (Zé Augusto) não deixou, e, segundo vereador que ouvia a conversa, "Caso o Presidente (Roxinho) colocasse os Projetos em Pauta, ele (Zé Augusto) iria ao Ministério Público".

Bem, eu, como os todos os barbosenses, queremos saber o que o Roxinho tem a esconder do Ministério Público, a ponto de ceder a chantagem, por que isso não tem outro nome.

Projetos como o do Empréstimo, da Venda de Sucatas, estão parados por que o Vereador e Presidente de fato (Zé Augusto) a Serviços Político Dela, impede toda Ação Administrativa desta Gestão, e Ele, em conluio com Ela, que trabalham para o "Quanto PIOR, Melhor", pouco se importando SE as obras irão beneficiar pessoas.

Aprovar ou Rejeitar é competência da Câmara, mas, impedir votação, mediante ameaça, é algo gravíssimo.

O MORALIDADE do Serviço Público, a HONRADEZ das pessoas, EXIGE que o vereadores deêm os devidos esclarecimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao Vereador Jefferson Preinsner.

 Ninguém quer que você seja igual seu pai, mas, herdar um pouco do Bom Senso Dele ajudaria. Quando você foi no almoxarifado, filmou aquelas ...